Kingo Labs
Início » Ciência » Diabo-da-Tasmânia: o animal que deu origem ao Taz, dos Looney Tunes

Diabo-da-Tasmânia: o animal que deu origem ao Taz, dos Looney Tunes

Você que viveu a década de 90, certamente, deve se lembrar do Taz, o personagem dos desenhos animados Looney Tunes, que se movimenta em redemoinhos e devora tudo o que vê pela frente, certo?

Pois bem! Muitas pessoas não sabem, mas a figura, que ganhou o coração das crianças com o seu jeito atabalhoado, é inspirada em um animal que existe na vida real: o diabo-da-tasmânia (Sarcophilus harrisii).

O animal, também conhecido como demônio-da-tasmânia, como o nome já diz, é oriundo da Tasmânia, uma ilha na Oceania que fica localizada na Austrália, e pertence à espécie de mamíferos marsupiais, a mesma dos cangurus, coalas e gambás.

E, apesar de a aparência não lembrar muito a do Taz dos cartoons, é verdade que ele come de tudo um pouco e, ainda, tem um temperamento difícil. Quer saber mais sobre o diabo-da-tasmânia e entender como vive e quais são as características do Taz da vida real? Então, continue a leitura!

Veja também:

Aranha Golias: saiba mais sobre o animal

O que é um diabo-da-tasmânia?

Um diabo-da-tasmânia, ou demônio-da-tasmânia, como preferir chamar, é um animal que pode medir até 80 centímetros de comprimento e pesar mais de 10 quilos. A sua aparência lembra a de um urso, a não ser pela cauda e pelo tamanho, de pequeno porte, que lembra mais um cachorro médio.

Além disso, ele possui pelos curtos e pretos em todo o corpo, sendo que há uma faixa branca na região do pescoço, tal como vimos nos desenhos animados. Se comparada ao corpo, a sua cabeça é relativamente grande e conta com nariz afilado e orelhas arredondadas.

Conhecido por seu temperamento difícil e instável, o diabo-da-tasmânia possui uma mordida poderosa, já que é dono de uma mandíbula bastante forte e, para o azar de quem encontrar com um desses, dentes molares avantajados e abertura de boca a um ângulo de 120 graus, o que quer dizer que ele pode facilmente esmagar os ossos de uma presa ao abocanhá-la.

E por falar em presa, o Taz da vida real costuma se alimentar de animais mortos, ovos de pássaros, larvas de insetos e até de terra, além do cobras e coelhos.

Veja também:

Curiosidades sobre camaleões

6 curiosidades sobre o diabo-da-tasmânia que você precisa saber

1 – O nome “diabo” ou “demônio”

Por ser um animal tão bravo, já é de imaginar porque ele tem esse nome um tanto “adorável”, não é mesmo? Mas não é só isso!

O diabo-da-tasmânia ganhou esse nome, primeiro, pelo lugar onde vive, na Tasmânia, e, em segundo lugar, por conta do grunhido que ele faz, que nativos dizem ser semelhante ao de um demônio gritando.

2 – Come tudo

Assim como o Taz dos desenhos animados, o diabo-da-tasmânia também adora comer de tudo um pouco, desde animais mortos, cangurus pequenos, coelhos, cobras (entre outros répteis), ovos de pássaros, aves em geral, cordeiros doentes e fracos, larvas de insetos, sapos, vombates e até de terra.

Se tiver difícil de conseguir comida, um demônio-da-tasmânia não dispensa nada! O cardápio vai até órgãos, ossos, músculos e até os pelos de suas presas. Por dia, é possível dizer que este animal consome, em média, 15% do seu peso corporal, podendo comer mais de 40%, se tiver oportunidade.

Veja também:

Animais aquáticos estranhos: 16 espécies incríveis

3 – É noturno

Assim como os gatos, os diabos-da-tasmânia possuem hábitos noturnos, isto é, costumam dormir durante o dia e sair para a caçada à noite. Os andarilhos noturnos chegam a caminhar um percurso de 16 quilômetros para caçar as suas presas e, por conta do seu temperamento difícil, até mesmo com outros integrantes da mesma espécie, andam sempre sozinhos. Em algumas raras vezes, é possível encontrar diabos-da-tasmânia comendo carcaças em bandos.

4 – O nascimento

Geralmente, as fêmeas da espécie de diabo-da-tasmânia dão a luz a cerca de 50 filhotes por vez. Os “diabinhos” vêm ao mundo do tamanho de grãos de arroz.

E o mais curioso é que, logo após o nascimento, estes filhotinhos precisam correr para a bolsa da mãe (tal como acontece com os cangurus) para disputarem quatro tetas e se alimentarem. Somente os que chegam até elas conseguem sobreviver.

Os pequenos ficam na bolsa da mãe por um período de quatro meses. Após esse tempo, a mãe os carregam nas costas até crescerem. Normalmente, os diabos-da-tasmânia vivem de cinco a oito anos.

5 – É poderoso, apesar de desengonçado

Quem vê um diabo-da-tasmânia de perto até duvida do poder deste animal. Mesmo pequeno e meio “torto” ao caminhar, um marsupial é considerado um excelente escalador de árvores.

Ainda, segundo a National Geographic, o Taz da vida real também é dono de uma das mordidas mais poderosas e fortes de todo o reino animal.

Veja também:

Megalodon: conheça o tubarão gigante

6 – Doença própria

Os diabos-da-tasmânia também possuem uma doença própria, que foi descoberta em 1996 e nomeada como Devil Facial Tumour Disease (DFTD). Ela se caracteriza pela formação de tumores ao redor da cabeça e boca destes animais.

Há estudos que defendem que o impacto deste tipo de câncer varia entre 20% e mais que 50% no declínio da população de diabos-da-tasmânia.

Gostou de saber tudo sobre o diabo-da-tasmânia? Conhece alguém que ia gostar de saber dessas curiosidades? Então, compartilhe esse artigo!

Até a próxima!

Comente!