Kingo Labs
Por que Moisés levou 40 anos para atravessar o deserto
Home » História » Por que Moisés levou 40 anos para atravessar o deserto?

Por que Moisés levou 40 anos para atravessar o deserto?

A história de Moisés conduzindo os israelitas desde Egito até a Terra Prometida é uma das mais famosas da bíblia. A Record aproveitou e produziu uma novela contando essa aventura, que durou 40 anos. Se você olhar o mapa, vai perceber que não deveria demorar tanto tempo. Por que foi assim? Eles se perderam? Confira as respostas a seguir.

Por que Moisés levou 40 anos para atravessar o deserto?

Moisés era um homem muito esperto e um dos principais personagens da bíblia. Foi ele inclusive que anotou os dez mandamentos. Ficou famoso por ter atravessado um deserto, levando todo o povo hebreu junto dele. O objetivo deles era chegar na Terra Prometida, mas acabou levando mais tempo do que o esperado.

Quem foi Moisés?

Moisés é um dos principais personagens bíblicos, sendo tratado como um grande líder religioso, legislador e profeta. É reconhecido por muçulmanos, judeus e cristãos como um dos maiores profetas da história. Conforme a bíblia, foi por meio de Moisés que Deus atuou para libertar os hebreus do Egito.

Deus teria realizado diversos milagres através de Moisés. O mais impressionantes deles talvez tenha sido a abertura do Mar Vermelho, por onde todo o povoado pode passar. A divisão das águas aconteceu depois que o faraó se arrependeu de deixá-los partir. Conforme o Livro do Êxodo, Moisés foi criado como príncipe do Egito, após ter sido deixado ainda bebê em um cesto próximo ao Nilo.

Quem eram os hebreus?

Os hebreus viviam inicialmente na região da Mesopotâmia, depois passaram pela Babilônia e Síria, até se estabelecerem no Oriente Médio. Isso aconteceu por volta do segundo milênio a.C. Eles deram origem aos semitas e então aos judeus e árabes. Ou seja, esses dois grupos religiosos têm origens no povo hebreu.

Por que os hebreus se tornaram escravos?

Por volta de 1759 a.C. os hebreus decidiram migrar para o Egito, para viver nas proximidades do Nilo. Inicialmente obtiveram sucesso e conseguiram prosperar, mas logo foram dominados pelos faraós, que naquele período ainda tinham enorme poder. O domínio durou mais de 400 anos, até que Moisés conseguiu a libertação e os hebreus puderam fugir.

Os hebreus conseguiram a libertação

Primeiro os hebreus conseguiram se libertar do domínio egípcio, que já durava 400 anos. Isso aconteceu quando Moisés abriu o Mar Vermelho com a utilização do seu cajado, permitindo que o povo conseguisse escapar da escravidão. Do outro lado do mar, não estava a sonhada Terra Prometida, e sim um deserto gigantesco. Logo os hebreus ficaram revoltados com Deus e com Moisés, já que estavam num local sem água e comida.

Qual era o deserto bíblico?

O deserto ficava no Sinai, uma península desértica do Egito, que fica entre os golfos de Suez e Ácaba. No total tem 61 mil metros quadrados, no formato triangular. Se tivessem ido pela rota mais curta, que tem 200 quilômetros, teriam terminado dentro de 40 dias e atingido o objetivo.

Como era a Terra Prometida?

Segundo a bíblia, Deus havia dado um espaço de terra para os israelitas, descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. Primeiro a promessa foi feita a Abraão e repassada para filho Isaque e depois para o neto Jacó. Era descrita indo desde as margens do Rio Nilo até o Rio Eufrates. Considerando o mapa de hoje, ocuparia os territórios do Estado Israel, Palestina, Cisjordânia, Jordânia Ocidental, sul da Síria e sul do Líbano.

O que dificultou a jornada?

A travessia do deserto deveria ter sido concluída em alguns dias, mas a dureza no coração do povo dificultou a missão que tinham. Deus deu diversas mostras de sua existência e de seu poder, mas levou 40 anos para que os hebreus compreendessem a importância de seguir o Senhor. O objetivo era mostrar que só havia um Deus vivo. Essas informações conforme o que está escrito na bíblia.

A culpa foi dos hebreus

Assim que conseguiram escapar do Egito, a promessa era chegar na Terra Prometida, um local com mel e leite abundantes. Mas, logo o povo começou a reclamar da falta de água, produziram um bezerro de ouro e reclamavam até da falta de cebolas. Era um povo desobediente que acabou pagando caro por essa desobediência.

A cultura politeísta

Uma corrente de historiadores defende que Deus fez os hebreus andarem por 40 anos pelo deserto para passaram a ser monoteístas, deixando de lado a cultura politeísta adotada no Antigo Egito. Moisés inclusive teria aprendido sobre o assunto com o Faraó Aquenáton.

Como se alimentavam?

Durante os 40 anos em que levaram para atravessar o deserto, os hebreus consumiram maná, um tipo de pão em grãos e algumas aves que vinham do céu. Moisés conseguiu tirar água de rochas. Mesmo com este milagre, eles continuavam não acreditando na existência de Deus e continuavam construindo estátuas para adorarem.

Nenhum deles sobreviveu

Se hoje a expectativa de vida está beirando os 80 anos de idade, naquele tempo era bem menor. Nenhum dos hebreus que conseguiu escapar do Egito chegou vivo até a Terra Prometida. Já eram os netos e poucos filhos. Deus fez com que demorasse 40 anos, para que a geração pudesse ser totalmente trocada.

Qual era a idade de Moisés?

Depois de ter conduzido os hebreus até a Terra Prometida, Moisés morreu aos 120 anos de idade. Aconteceu logo que chegou a Canaã, depois de receber as tabuas com os dez mandamentos.

A chegada numa terra habitada

Assim que os hebreus conseguiram chegar na Terra Prometida, conhecida por Palestina, o território já era ocupado por diversos povos. Então começaram diversas batalhas pela posse das terra, onde os hebreus estavam divididos em 12 tribos. A Palestina foi totalmente conquistada durante o reinado de Davi, que derrubou o gigante Golias.

Com a morte de Davi, seu filho Salomão assumiu o comando, proporcionando o período de maior prosperidade no reino. Assim que morreu, o território foi dividido em dois: Reino de Israel e Reino de Judá. Os dois lados sofreram com ataques inimigos, até que os judeus foram expulsos da Palestina e puderam retornar somente em 1948, com a criação do Estado de Israel.