Kingo Labs
Torcidas mais perigosas do mundo
Home » Esportes » Torcidas mais perigosas do mundo

Torcidas mais perigosas do mundo

O futebol hoje é um esporte mais harmonioso do que era no passado, mesmo assim diversas torcidas mundo afora continuam sendo radicais. Cantos racistas, suásticas e brigas são comuns em alguns estádios.

Parece que preferem brigar do que assistir a sua equipe em campo. Será que tem brasileiro na lista? Confira uma lista com as torcidas mais perigosas do mundo.

Torcidas mais perigosas do mundo

Esporte deveria servir para a diversão e o entretenimento, mas não é bem assim. Muita gente vai para os estádios com o intuito de brigar e gerar confusão. Tem torcida que é especialista nisso, como a do Galatasaray, Millwall e Lazio. Não importa o continente, sempre existem grupos baderneiros que continuam agindo mesmo com controle policial.

Liverpool

Um dos maiores times da Inglaterra e do mundo, o Liverpool tem uma torcida considerada uma das mais violentas do mundo. Hoje em dia os holigans já diminuíram, mas foram os responsáveis pelo caso de Heysel, onde 38 pessoas morreram durante a partida final da Liga dos Campeões 1985 contra a Juventus. Acontece que durante aquela partida uma alambrado caiu durante as comemorações.

Galatasaray

O time turco tem torcedores considerados muito violentos, dentro e fora de campo. O Galatasaray tem uma das torcidas mais perigosas de toda a Europa, sendo repreendidos pelas autoridades policiais. Os turcos são muito fanáticos pelo futebol, logo acontecem diversas confusões nas partidas realizadas na Türk Telekom Arena, principalmente se for clássico contra o Beşiktaş ou Fenerbahçe.

Entre os grupos, o UltrAslan é o mais temido, levando terror pelos locais onde passam. Na semifinal da Liga Europa de 2000, contra o Leeds United (Inglaterra), dois torcedores do time adversário foram assassinados. Na casa do Galatasaray geralmente fazem uma fumaça vermelha, que representa o inferno, gerando uma atmosfera que normalmente põe medo nos rivais.

Millwall

O Millwall, um pequeno clube da Inglaterra, tem uma torcida barra pesada, que utiliza o lema “Ninguém gosta de nós, nós não gostamos de ninguém”. Os torcedores chegaram a criar o tijolo Millwall, feito por meio de diversas folhas de jornal, que prensadas de forma cuidadosa servem como uma arma para ser utilizada durante os confrontos.

As brigas muitas vezes envolvem até mesmo os atletas. Localizado na cidade de Londres, o Millwall tem como maior rival o West Ham, outra equipe que tem uma perigosa torcida. Os dois times ficam na região leste da capital inglesa, onde moram diversos operários. Esse clássico não tem acontecido muito ultimamente, já que as equipes estão em divisões diferentes.

Lazio

A torcida da Lazio, da Itália, é marcada pela polêmica. Muitos destes torcedores têm raízes fincadas junto com o fascismo, dessa forma sendo considerada extremamente perigosa. O time divide Estádio Olímpico com a Roma, com quem fazem um clássico de arrepiar, que de tão importante faz a cidade parar. Muitos dos cantos são considerados racistas.

Acontece que o clube tem claras ligações com o antigo ditador Benito Mussolini. Durante uma partida pela Liga Europa, torcedores da Lazio agrediram um do Tottenham, porque a equipe inglesa é considerada um time com ligações judaicas.

Por vezes é comum encontrar suásticas no meio das arquibancadas, carregadas pelos mais radicais. O centroavante Paolo Di Canio chegava a comemorar os gols com a saudação nazista.

Corinthians

A Gaviões da Fiel, mais especificamente, é considerada uma das torcidas mais perigosas da América Latina. Um fato que chamou atenção ao longo da história foi a morte do jovem Kevin, em 2013, durante uma partida da Copa Libertadores, naquele episódio membros da Gaviões lançaram um sinalizador, que acabou perfurando o crânio do menino. O caso de Oruro, na Bolívia, terminou com 12 presos.

Estrela Vermelha

No sudeste europeu a população leva questões extracampo para dentro das torcidas. Em 1990 aconteceu uma briga generalizada entre torcedores do Dínamo de Zagreb e do Estrela Vermelha, saindo do estádio e gerando uma guerra civil entre croatas e sérvios. A torcida do Dínamo, Bad Blue Boys, é formada por membros violentos e inflexíveis, enquanto os do Estrela estão ligados ao nacionalismo exacerbado.

Boca Juniors

Um dos clubes mais tradicionais da América e do mundo, o Boca Junior tem uma torcida que põe medo em muita gente, os barra-bravas não atuam somente no ambiente do futebol, mas na sociedade como um todo. A torcida conhecida como La Doce é famosa pela violência praticada e o descumprimento de leis. Existe confronto com outras organizadas e dentro da própria, para definir a hierarquia de poder a ser seguida.

La Doce atua como uma grande empresa, com tons de organização criminosa. No começo da década de 1980 o Boca Juniors havia contratado Diego Maradona, ainda jovem. Os outros jogadores não gostavam muito de passar a bola para o atacante, então membros da torcida organizada resolveram se encontrar com atletas, colocando um revólver na mesa e explicando o que queriam.

Partizan

Da Sérvia vem a torcida do Partizan, conhecida por “Os coveiros”. Costumam levar para os estádios política, fogo e empurrões. Ao longo de três momentos das partidas produzem cortinas de fumaça, mesmo assim na maioria das vezes a bola não para de rolar. A política geralmente aparece com faixas reivindicando o território do Kosovo.

Se o jogo não estiver muito agradável, os coveiros começam a se empurrar nas arquibancadas. O Partizan é considerado um dos times mais tradicionais da Sérvia, disputando regularmente competições europeias, principalmente a Liga Europa, mas também a Liga dos Campeões.

Al-Masry

A África está representada nesta lista de torcidas mais perigosas do mundo pelo Al-Masry do Egito. O clube é pequeno e até 2012 praticamente ninguém conhecia. Naquele ano, após uma vitória contra o Al-Ahly, um dos maiores campeões internacionais do planeta e principal equipe do Egito, invadiram o campo e agrediram jogadores adversários. Nada menos do que 74 pessoas morreram.

Atlético Nacional

Embora tenham ficado com boa fama após a tragédia com o voo da Chapecoense, os torcedores do Atlético Nacional não estão para brincadeira. O clube chegou a ser propriedade do traficante Pablo Escobar. Os mais fanáticos são os Los del Sur, que adoram brigar com rivais.