Kingo Labs
Chico Xavier
Home » Sobrenatural » Chico Xavier: saiba mais sobre o médium

Chico Xavier: saiba mais sobre o médium

Chico Xavier é considerado O Maior Brasileiro de Todos os Tempos, conforme votação popular organizada pelo SBT. Foi médium, psicografando gratuitamente milhares de cartas. Psicografou ainda diversos livros e doou todo o dinheiro.

Será que Chico Xavier é uma fraude? Confira tudo sobre sua vida.

Chico Xavier

Chico Xavier deixou um legado de amor. Sempre procurou fazer o bem e nunca cobrou por seus serviços. Mesmo assim tem muita gente que duvida de seus poderes. Já faz mais de 15 anos que morreu e continua sendo lembrado.

Quem foi Chico Xavier?

Francisco Cândido Xavier se popularizou com o nome de Chico Xavier. Nasceu na cidade mineira de Pedro Leopoldo, em 2 de abril de 1910. Chico alegava ter psicografado mais de 450 livros, que venderam mais de 50 milhões de copias ao todo. Todos os direitos das obras eram cedidos para instituições de caridade. Além disso, psicografou mais de 10 mil cartas sem cobrar um tostão.

A infância de Chico Xavier

Nasceu em uma família humilde, com oito irmãos. Era filho de um vendedor de bilhetes de loteria e de uma lavadeira. A mediunidade teria se manifestado pela primeira vez quando Chico tinha quatro anos de idade. Sua mãe morreu cedo e o pai distribuiu os filhos entre os parentes. Chico então foi criado por sua madrinha, Rita de Cássia. A mulher era má e causou diversos sofrimentos ao garoto.

O início no espiritismo

Sua madrinha dizia que lhe batia porque o jovem tinha o diabo no corpo. Quando tinha 17 anos de idade, em 1927, percebeu que sua irmã apresentava condições de insanidade devido a obsessão espiritual. Foi nessa época que poetas falecidos começaram a conversar com Chico. Já no ano seguinte as primeiras obras psicografadas foram publicadas em jornais.

A relação com Emmanuel

Emmanuel teria sido o grande mentor espiritual de Chico Xavier. A maioria de suas obras psicografadas teriam sido escritas por ele. Em 1938 foi publicado um livro com o título “Emmanuel”. Se manifestou pela primeira vez em 1927, na fazenda de Carmem Pena Perácio, que ajudou Chico no início com a mediunidade. Uma das reencarnações de Emmanuel teria sido a do senador romano Publius Lentulus Cornelius.

Polêmica com Humberto de Campos

Humberto de Campos foi um jornalista, político e escritor brasileiro que atuava no estado do Maranhão e morreu em 1934. Na mesma década Chico Xavier psicografou a obra Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, que teria sido escrita por Humberto. A viúva do autor entrou na justiça cobrando direitos autorais, mas não saiu vitoriosa. Depois o nome foi trocado por Irmão X.

Tentaram desmascarar Chico

Em 1944 os repórteres David Nasser e Jean Manzon se fingiram de estrangeiros e utilizaram nomes falsos para testar os poderes de Chico. Depois da reportagem, quando chegaram em casa com os livros autografados perceberam lá seus nomes verdadeiros. O fato foi contado em uma entrevista na década de 1980.

Participações no programa Pinga-Fogo

Durante a década de 1970 Chico Xavier participou de diversas entrevistas no programa Pinga-Fogo, da extinta TV Tupi. Quando o médium estava no ar a audiência crescia de uma forma absurda, marcando excelentes números. O programa ao vivo do dia 28 de julho de 1971 teve uma das maiores audiências da história da TV brasileira.

Caso Monteiro Lobato

Um dos maiores nomes da literatura brasileira, Monteiro Lobato morreu em 1948. Lobato teria deixado duas senhas que seriam utilizadas caso ele se comunicasse depois da morte. Chico Xavier psicografou algumas cartas que seriam do autor, mas não citou as senhas.

Morte de Chico Xavier

Chico Xavier morreu quando tinha 92 anos de idade, vítima de uma parada cardiorrespiratória. Segundo relatos, ele gostaria de desencarnar em um dia que os brasileiros estivessem muito felizes, para não causar tristeza. Já frágil de saúde, a morte veio no dia 30 de junho de 2002, quando o país comemorava a conquista do pentacampeonato mundial de futebol, com a vitória sobre a Alemanha.

O Maior Brasileiro de Todos os Tempos

Em outubro de 2012 Chico Xavier foi eleito em votação popular como O Maior Brasileiro de Todos os Tempos. Primeiro foi classificado entre os 12 mais bem votados, sendo que as pessoas através da internet podiam votar em quem quisessem, não havia uma lista. Na fase de eliminatórias passou em um confronto apertado contra a Irmã Dulce, vencendo com 50,5% dos votos.

Na semifinal Chico Xavier superou um dos favoritos, Ayrton Senna, recebendo 63,8% do total de votos. A torcida pelo médium foi crescendo e na final, contra Santos Dumont e Princesa Isabel ficou com 71,4%, conquistando o título. Anos antes, em 2006, a Revista Época já havia atribuído a ele o prêmio de “O Maior Brasileiro da História”.

Inteligência artificial testou as psicografias

Em 2017 a empresa Stilingue, que trabalha com análise de textos via inteligência artificial, aplicando a técnica de aprendizado em uma máquina chamada Deep Learning, analisou obras deixadas por Emmanuel, André Luiz e Humberto de Campos. Foram selecionados três livros de cada autor e criados textos novos. Depois estes textos foram misturados. A conclusão foi de muito erro, indicando um estilo único para cada autor.

Padre Quevedo vs. Chico Xavier

Segundo o Padre Quevedo, ninguém da família de Chico Xavier acreditava nas suas habilidade e desde criança possuía tendências a loucura. Desde jovem, o que mais fazia era ler e escrever, por isso teria desenvolvido técnicas para produzir livros com diferentes linguagens. Lembrando que o Padre Quevedo era mestre em desmascarar farsantes.

“Todos os espíritos dos mortos não sabiam nada mais do que português”, disse. Conforme Quevedo, Emmanuel não poderia ser um senador romano dos tempos de Cristo, porque este deveria saber latim e esse nome não era utilizado naquela época. “O espiritismo foi fundado por Alan Kardec e quando os cientistas perguntavam a ele sobre druidas, não entendia nada”, completou.

Quem foi Chico Xavier em outras vidas?

O autor Carlos Alberto Braga, que viveu por quase 50 anos próximo de Chico Xavier escreveu um livro falando sobre outras vidas que o espirito de Chico teve. Teria sido Hatshpsut, no antigo Egito, uma farani que governou o país. Em algumas das vidas passadas teve ligação direta com Emmanuel. O espirito passou pelo período romano e foi da família real espanhola.